Ouça agora na Rádio

N Notícia

Trump: 'Estamos exatamente onde queremos estar em relação à China'

Trump: 'Estamos exatamente onde queremos estar em relação à China'

A disputa comercial entre os Estados Unidos e a China, as duas maiores economias do mundo, vem aumentando há mais de um ano. Ambas as nações repetidamente emitiram bilhões de dólares em tarifas de retaliação sobre bens um do outro.

Informações Compartilhadas Sptnik Brasil

O presidente dos EUA, Donald Trump, twittou neste domingo que Pequim rompeu seu acordo comercial com Washington e prometeu elevar em "dezenas de bilhões de dólares, as tarifas da China".

"Em seguida, gastaremos (igual ou melhor) o dinheiro que a China já não poderá gastar com os nossos Grandes Patriotas (Agricultores) — uma pequena percentagem do total de tarifas recebidas — e distribuiremos alimentos a pessoas famintas em nações de todo o mundo! ÓTIMO!", descreveu Trump sobre a estratégia. 

Mais cedo, Trump exortou a China a não esperar pelas eleições presidenciais de 2020 e rapidamente fechar um acordo comercial, ressaltando que um novo acordo pós-eleitoral pode ser "muito pior" se tiver que ser negociado em um segundo mandato do Trump.

O consultor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse em uma entrevista à Fox News que Trump pode se encontrar com o colega chinês Xi Jinping na cúpula do G20 no Japão no final de junho.

 

A notícia vem na esteira de uma recente decisão de Trump de aumentar as tarifas de 10% para 25% sobre mais de US$ 200 bi em produtos chineses. A remoção das taxas, alertou o presidente no início da semana, dependeria do resultado de futuras negociações entre Washington e Pequim. Ele acrescentou que as tarifas mais recentes produziriam "pagamentos massivos" que iriam diretamente para o Departamento do Tesouro dos EUA.

A cúpula do G20 na cidade japonesa de Osaka será realizada de 28 a 29 de junho.

FONTE: Sputnik Brasil
Link Notícia